Polícia descarta cadeia para psicóloga que agrediu crianças em Goiânia

Delegada diz que pena mais provável é a de prestação de serviços comunitários

Helson França, iG Mato Grosso |

Minha filha não consegue falar da situação sem começar a chorar”, diz pai do casal de crianças

A psicóloga Leidiane Rosa da Silva Freitas, flagrada pelas câmeras do edifício de luxo onde reside em Goiânia (GO) batendo em um casal de irmãos de 9 e 12 anos, não será detida.

Segundo a delegada titular da Delegacia da Criança e Adolescente de Goiânia, Ana Elisa Gomes Martins, não houve necessidade de pedir a prisão de Leidiane pelo fato do caso ser tratado como lesão corporal leve, onde a pena é de, no máximo, 1 ano: “Em situações onde a pena é inferior a dois anos, o processo tramita no Juizado Especial Criminal e o acusado é punido com penas alternativas, como prestação de serviços comunitários, por exemplo”, afirmou a delegada.

nullA agressão aconteceu na segunda-feira (23), após ter ocorrido um desentendimento entre o menino G.G.S.L. (9) e o filho de Leidiane, na área de lazer do edifício. Eles brigaram e o filho da psicóloga levou a pior e foi reclamara para a mãe. Então Leidiane foi atrás de G. e lhe agrediu com tapas no rosto. O garoto correu em direção à irmã que estava na piscina.

Ao se levantar para conversar com Leidiane, a menina também acabou agredida, com golpes na cabeça e no estômago.

As crianças, principalmente a garota V.G.S.L.,, tiveram hematomas na cabeça e diversas escoriações pelo corpo, como apontou o exame de corpo de delito do Instituto Médico Legal (IML).

Psicóloga de crianças

A psicóloga também trabalha com crianças e possui registro profissional no Conselho Regional de Psicologia de Goiânia. A entidade informou que não irá aplicar qualquer punição a Leidiane, pois eventuais processos administrativos ou sindicâncias contra profissionais só são instaurados quando acontecem irregularidades durante o exercício da profissão. O caso dela é tratado como uma situação que diz respeito apenas à vida privada de Leidiane.

O pai do casal de irmãos que sofreu a agressão é militar e contou que os filhos estão bastante assustados. “Minha filha não consegue falar da situação sem começar a chorar”, disse. “Fiquei muito indignado com a situação. Por mim, ela (Leidiane) é uma pessoa que não tem controle e que não merece estar na sociedade da maneira que se comporta”, pontuou.

A reportagem entrou em contato com Leidiane, mas as chamadas não foram atendidas. No Boletim de Ocorrência feito na 8ª Delegacia de Polícia de Goiânia, Leidiane afirma que bateu nas crianças para proteger o filho.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG