Polícia descarta ação de segunda pessoa na morte de inglesa em Goiás

GOIÂNIA - Um dos delegados responsáveis pela investigação da morte da inglesa Cara Marie Burke, Carlos Raimundo Lucas Batista, disse que está descartada a participação de uma segunda pessoa na ação da morte da menina. Segundo ele, outra pessoa pode ter ajudado apenas no transporte do corpo. Cara, de 17 anos, teria sido morta e esquartejada pelo goiano Mohamed DAli Carvalho dos Santos, de acordo com informações da polícia.

Redação |

Segundo Batista, a outra pessoa, que pode ter emprestado o carro para que Santos transportasse o corpo, "está praticamente identificada" e deve ser interrogada nos próximos dias. O veículo utilizado para o transporte de partes do corpo deve ser apreendido e levado para a perícia.

Os homens do Corpo de Bombeiros retomaram as buscas pelo corpo de Cara na manhã desta segunda-feira, nas proximidades do córrego Sozinha, em Goiás. Neste domingo, foi encontrada uma perna e pedaços de pele que podem ser de Cara nas proximidades do Sozinha.

Futura Press
As partes do corpo foram encontradas por um agente da Polícia Civil, que acionou o Corpo de Bombeiros, e as encaminhou ao Instituto Médico Legal (IML) de Goiás. O IML deixou pronto e assinado o atestado de óbito de Cara, mas ele só será entregue após o resultado do exame de DNA.

A maior dificuldade enfrentada pelo IML e a Polícia de Goiás está nas buscas por outras partes do corpo de Cara Marie. Mesmo com a ajuda de Mohamed D'Ali, que indicou para a polícia e para o Corpo de Bombeiros onde lançou os membros, nada foi localizado. D'Ali, que espera a chegada, na terça-feira, de seu irmão que mora em Londres, Bruce Lee, está preso. Ele pode ser condenado a penas que somadas chegam 36 anos de prisão.

Leia também:

Leia mais sobre: assassinatos

    Leia tudo sobre: assassinato

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG