Polícia de SP apreende ao menos 5 milhões de produtos em ação contra pirataria

SÃO PAULO - A Delegacia Geral de Polícia do Estado de São Paulo divulgou o balanço parcial da Operação Estadual Antipirataria denominada Capitão Gancho, que acontece em todo Estado de São Paulo, desde às 6h desta quinta-feira (10). Foram designadas 2.147 viaturas e 6.356 policiais, empenhados em apreender e recolher produtos falsificados e cumprir mandados de prisão. Até às 17h, já foram apreendidos 5.467.913 produtos, número maior do que o do ano passado, segundo o delegado geral, Maurício José Lemos Freire.

Redação |

Até o momento, 8.025 pessoas foram abordadas e, dentre elas, 84 foram presas. A polícia ainda apreendeu 17 armas e aproximadamente 273 quilos de drogas. Foram cumpridos 108 mandados de prisão e 60 homens foram capturados. Dos 4.258 veículos vistoriados, 88 apresentaram irregularidades e foram apreendidos. Por conta da operação, foram elaborados 1043 boletins de ocorrência e termos circunstanciados. A operação continua por tempo indeterminado.

Para Freire, o resultado da operação, mesmo que parcial, é extremamente positivo. "A finalidade foi testar o plano de mobilização da polícia em um curto espaço de tempo e combater a pirataria. A missão da Polícia Civil é a prevenção especializada, localizando depósitos e fornecedores, e não somente prendendo aqueles que trabalham nas ruas.

Somente na região central da cidade, a polícia realizou duas grandes apreensões, ambas na área da 25 de março. Na primeira, policiais do Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (DEIC) apreenderam cerca de 400 mil produtos piratas, entre eles moletons, tênis, bonés, CDs e DVDs. Na outra, o Setor de Investigações Gerais (SIG) da 1ª Seccional, no Centro, apreendeu mais de 1.935.000 produtos.

Em Cotia, na Grande São Paulo, três pessoas foram presas em flagrante pelo Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (GARRA) em uma casa com drogas e um mini arsenal com 14 armas, dentre elas metralhadoras, fuzis e granadas. A polícia também localizou um morteiro, espécie de canhão utilizado pelo exército.

No município de Rosana, a 762 quilômetros da capital, região de São José do Rio Preto, policiais do 1º Distrito Policial encontraram cerca de 200 quilos de maconha.

    Leia tudo sobre: políciaprodutos piratas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG