Polícia de MG prende quadrilha suspeita de fraude de R$ 18 mi no seguro-desemprego

UBERLÂNDIA - A Polícia Federal de Uberlândia, em Minas Gerais, prendeu, nesta terça-feira, sete pessoas suspeitas de fraudar o seguro-desemprego. Segundo o delegado Marinho Silva Rezende, que comanda a ação, dois presos são funcionários do Ministério do Trabalho e cinco são contadores. Verificamos que a quadrilha deu um prejuízo de R$18 milhões só nos últimos cinco anos em Uberlândia e Araguari, afirmou.

Redação |

A Operação Pleno Emprego teve início às 6h e conta com cerca de 60 agentes da polícia em Uberlândia, Uberaba e Belo Horizonte.

Rezende informou que diversos advogados, funcionários públicos e contadores estariam envolvidos nas falcatruas. "Eles criavam vínculos empregatícios falsos de empresas inativas e, com isso, possibilitavam o recebimento indevido do seguro-desemprego", disse.

A operação está em andamento e os policiais cumprem seis mandados de busca e apreensão, entre eles um no Ministério do Trabalho em Uberlândia.

Para o delegado, o sistema do seguro-desemprego é deficiente. "É muito fácil inserir dados. Acreditamos que estas fraudes estejam disseminadas em todo o território nacional", afirmou.

Leia mais sobre: seguro-desemprego - fraudes

    Leia tudo sobre: pfseguro-desemprego

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG