Pai de Eloá nega assassinato, mas confessa que fugiu da polícia" / Pai de Eloá nega assassinato, mas confessa que fugiu da polícia" /

Polícia de Alagoas monta operação para prender pai de Eloá

ALAGOAS - Acompanhado por milhões de pessoas em todo o País, o sequestro das jovens Eloá Cristina e Nayara da Silva, que terminou com a morte da primeira adolescente, também chamou atenção por um outro fato. A Polícia Civil de Alagoas identificou um foragido há 17 anos, Everaldo Pereira da Silva, o pai de Eloá. http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2008/10/21/pai_de_eloa_nega_assassinato_mas_confessa_que_fugiu_da_policia_2059723.html target=_topPai de Eloá nega assassinato, mas confessa que fugiu da polícia

Bernardino Souto Maior, especial para o iG |

Atento ao quadro que se desenrolava na cidade do ABC do Paulista, o secretário de Defesa Social de Alagoas, Paulo Rubim, tentou correr contra o tempo para prender Everaldo, que fugiu do Estado após ser acusado de ser o assassino do delegado Ricardo Lessa, irmão do ex-governador Ronaldo Lessa.

A primeira tentativa de prender Everaldo acabou não saindo do papel. Mas, após uma revisão dos planos, Rubim decidiu enviar uma equipe de sua secretaria na noite desta quarta-feira para São Paulo. O objetivo é trazer o pai de Eloá para Alagoas e que ele responda pelos supostos crimes cometidos no Estado. 

O diretor adjunto da Policia Civil de Alagoas, José Edson Freitas Junior, e a delegada Luci Mônica, diretora de Informações e Estatísticas da Polícia Civil, ficarão na capital paulista acompanhando de perto os trabalhos de seus colegas na tentativa de descobrir o esconderijo do ex-cabo da Polícia Militar.

Até o final desta semana, os dois delegados alagoanos tentarão uma conversa com a mãe de Eloá, Ana Cristina, e também com Lindemberg Ferreira, o sequestrador.  

Reconhecido pela TV

Everaldo foi reconhecido quando passou mal durante uma tentativa de conversa com Lindemberg Ferreira. Seu rosto foi lembrado até por seus antigos companheiros de cela na Penitenciária Baldomero Cavalcanti, em Maceió, que avisaram os guardas de plantão.

Não foi o único momento que Everaldo, que usava o nome de Aldo, saiu do anonimato. Um parente de outra vítima do ex-PM, que também acompanhava o caso de Santo André, alertou um delegado da  secretaria de Defesa Social. A notícia chegou ao secretário no mesmo dia, que decidiu montar a operação.

Parceiros procurados

Além de ser reconhecido pela justiça alagoana, foi levantado que Everaldo circula em Santo André com um parceiro, também ex-cabo da PM de Alagoas, Cícero Felizardo, o "Cição", que responde por uma série de processos relacionados a homicídios. Os dois, segundo as informações apuradas, trabalhariam em uma empresa de segurança em Santo André. 

Pedido de prisão

O juiz da 9ª vara criminal de Maceió, Geraldo Amorim, renovou o mandato de prisão do ex-cabo Everaldo em julho deste ano. Já o promotor público Luiz Vasconcelos, que atuou no caso da "Gangue Fardada", que praticava vários crimes em Alagoas, confirmou que o pai de Eloá participou de vários crimes.

Quem é Everaldo

Everaldo Pereira foi expulso da PM em 1993 ¿ dois anos após a morte de Lessa ¿, ele é acusado diretamente em uma série de crimes encomendados, entre eles do delegado Ricardo Lessa, de quem foi  motorista. 

O crime mais conhecido do pai de Eloá foi o atentado contra o agricultor Josenildo Pereira da Silva, assassinado dentro do Hospital de Emergência Armando Lages, em Maceió. A vítima foi morta com 15 facadas. A ação foi realizada em 1991.  

Everaldo ainda é citado no assassinato do vereador Renildo José dos Santos, morto na porta da própria casa, na cidade de Coqueiro, cerca de 50 km de Maceió.

Defesa

Everaldo Pereira da Silva nega participação em todos crimes. Ele afirma que integrou o  grupo de segurança do delegado, mas deixou o posto  poucos dias antes do assassinato. O pai de Eloá diz que foi afastado da PM por saber demais.

A defesa do ex-PM é feita por Ademar Gomes, advogado com escritórios em Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo, onde foi procurado por um dos filhos de Everaldo.

Gomes disse nesta quarta-feira que não há possibilidade de seu cliente se entregar à polícia. A defesa espera ter acesso ao processo.

Leia também:

    Leia tudo sobre: eloá

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG