Polícia busca pistas para esclarecer morte de menina no Aterro do Flamengo

Equipes da Divisão de Homicídios do Rio buscam pistas para esclarecer a morte de uma menina de 9 anos ocorrida durante o carnaval no Aterro do Flamengo, na zona sul da capital fluminense. Nesta quinta-feira, policiais refizeram o possível trajeto da vítima e procuraram possíveis registros feitos por câmeras de edifícios e estabelecimentos comerciais da região.

iG Rio de Janeiro |

A criança foi encontrada morta na manhã de domingo nos arredores do Museu de Arte Moderna (MAM). O corpo tinha sinais de violência sexual e estrangulamento e só estava com a parte de cima de uma fantasia de carnaval.

De acordo com a Divisão de Homicídios, a menina foi raptada na noite de sábado quando brincava com irmãos e outras crianças nas proximidades dos Arcos da Lapa, no Centro do Rio. A mãe estava próxima às crianças, trabalhando como ambulante. Um homem negro com uma tatuagem na perna teria se aproximado e levado a menina com a promessa de dar-lhe um arco de cabelo.

A criança morava com a mãe na Lapa, num edifício ocupado por sem-tetos. Mãe e filhos viviam em condições precárias, praticamente como pedintes pelas ruas da cidade, segundo a polícia. Os pais eram separados. O corpo da menina foi enterrado na quarta-feira no cemitério do Caju, na zona portuária do Rio.

Leia mais sobre: violência contra crianças

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG