A polícia de São Paulo investiga se Isabella Nardoni teria sido agredida pela madrasta Anna Carolina Jatobá, momentos antes do crime. A menina de 5 anos teria deixado, por um descuido, o irmão mais novo, Kauã, que ontem completou 1 ano, escapar de seus braços e cair no chão. O que teria levado a madrasta a ter uma reação furiosa. Isabella, segundo depoimento de sua família, adorava segurar o irmãozinho.

Segundo a teoria da polícia, na noite de 29 de março, dia da morte de Isabella, ao chegar ao apartamento, ainda no corredor de entrada, teria ocorrido o acidente. A madrasta teria se enfurecido ao ver o filho cair. Gritou palavrões, ouvidos por testemunhas. Neste momento teria começado uma discussão entre o casal. Os investigadores levam em consideração depoimento de uma testemunha que ouviu a menina gritando por socorro: Papai, papai, papai, pára, pára. O silêncio veio em seguida. Nesse instante, segundo a suspeita da polícia, Isabella teria sido espancada e asfixiada.

Isabella teria sido atirada pela janela logo depois. Sem chamar o resgate, Alexandre desceu e disse às testemunhas que viu um ladrão armado em seu apartamento. A madrasta ainda levou alguns minutos para descer. O filho mais novo estava em seu colo. Kauã nunca mais foi visto em público. A polícia recebeu informações de que o lábio da criança estava ferido nos dias que se seguiram à morte de Isabella, o que reforça a suspeita da investigação. As informações são do "Jornal da Tarde"

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.