Polícia apura participação de caseiro em mortes no Rio

O delegado titular da 120ª Delegacia de Polícia de Silva Jardim, Paulo Roberto da Silva, acredita que o caseiro Adilson Amorim Ramos estava envolvido nas mortes ocorridas ontem em uma fazenda em Silva Jardim, na região das Baixadas Litorâneas, no Rio de Janeiro, durante uma tentativa de roubo. Para o policial, o caseiro, que também foi morto no crime, pode ter sido executado pelos comparsas.

Agência Estado |

No entanto, provas periciais colhidas no local também podem indicar que Ramos morreu ao tentar socorrer a família.

A polícia investiga se o crime, registrado como latrocínio, foi motivado por R$ 5 mil em espécie que o dono da fazenda, Odelon Heckmann, de 73 anos, também assassinado, recebeu no domingo pelo pagamento parcelado da venda de um imóvel. O delegado acredita que o corpo do caseiro, de 43 anos, ter sido o único encontrado fora da casa e a ausência de sinais de rompimentos de obstáculos para a entrada do carro dos assassinos na propriedade indicam uma possível a participação do empregado. "Trabalhamos com esta possibilidade, mas nada está descartado", disse.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG