Polícia apura morte de jovem em suposto aborto em MS

Corpo foi encontrado em canavial em Sidrolândia. Cunhado da vítima e enfermeiro estão presos

AE |

selo

Policiais civis da Delegacia de Homicídios (DEH) de Mato Grosso do Sul investigam o caso da jovem Marielly Barbosa Rodrigues, de 20 anos, que morreu supostamente durante um aborto malsucedido em Sidrolândia. Ela desapareceu no dia 21 de maio e seu corpo foi encontrado em um canavial no dia 11 de junho.

O cunhado de Marielly, Hugleice da Silva, e o enfermeiro Jodimar Ximenes estão presos. Eles são suspeitos de envolvimento na morte da jovem. A perícia feita no corpo dela não apontou se ela estava grávida. A polícia descobriu a gravidez por meio de um exame entregue pela família.

Laudos periciais apontaram que não foram detectadas fraturas e nem marcas de tiros no corpo da jovem. O corpo de Marielly estava alinhado, com os braços perto do tronco, o que indica que ela foi colocada e não jogada no canavial.

O cunhado confessou em depoimento que levou a jovem para fazer o aborto e a aguardou do lado de fora da clínica. Ele também disse que transportou o corpo dela para o canavial depois de ser avisado pelo enfermeiro que Marielly havia morrido no procedimento. O canavial fica perto da empresa onde Hugleice trabalha.

O enfermeiro está preso na Delegacia de Polícia de Sidrolândia e Hugleice está na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) de Campo Grande. A caminhonete de Hugleice passará por perícia. O veículo teria sido utilizado para transportar Marielly.

    Leia tudo sobre: abortomorte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG