Polícia apura elo entre assalto em Guarulhos e seqüestro em Perdizes

A quadrilha que roubou um banco em Guarulhos (SP) na última sexta-feira deixou um disfarce de policial em um dos veículos usados no crime. Recentemente, a mesma estratégia foi adotada em uma tentativa de seqüestro em Perdizes, na zona oeste da capital paulista. Há suspeita de ligação entre os dois bandos.

Agência Estado |

AE
Casa em que família foi mantida refém
Casa em que família foi mantida refém
Em ambos os crimes, os assaltantes também utilizaram fuzis. O Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) faz paralelo entre os casos, que tiveram a participação de integrantes do PCC. 

Na sexta-feira, em um EcoSport abandonado em Guarulhos, a PM encontrou um giroflex com sirene e um colete à prova de balas preto. Na capital, testemunhas disseram ter visto dois bandidos utilizando coletes cinzas.

No seqüestro de Perdizes, em setembro, um giroflex foi usado pelos bandidos tentando despistar a PM. O bando vestia coletes com logotipo da Polícia Federal e carregava dois distintivos da Polícia Civil.

Perseguição e seqüestro

Na última sexta-feira, após um grupo assaltar uma agência do Banco Real, no centro de Guarulhos, houve uma perseguição que resultou na morte de três pessoas e 11 feridos. Morreram o motoqueiro Leandro Rodrigues Marques, o soldado Ailton Tadeu Lamas, do 43º Batalhão da PM, e um dos criminosos.

Segundo a PM, ao saírem do banco, os assaltantes se depararam com policiais e atiraram, atingindo Marques, que estava parado com uma motocicleta no semáforo, e o soldado Sergio de Mota Sordi de raspão na orelha. Estilhaços feriram o soldado Gilmar da Silva Marques no pescoço e em um dos braços.

Durante a fuga, os ladrões invadiram uma casa no Jaçanã, na zona norte da capital paulista. A polícia cercou o local e houve troca de tiros. Um dos disparos acertou Lamas. Ele foi socorrido inicialmente no Hospital São Luiz Gonzaga e, depois, transferido para o Hospital da PM, onde morreu. Segundo a corporação, Lamas era conhecido por ter feito 14 partos de emergência em 22 anos de carreira na corporação.

Segundo a PM, um dos bandidos foi encontrado morto dentro da casa, após o fim da ocorrência. Nenhum dos feridos corre risco de morte.

    Leia tudo sobre: perseguição

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG