RIO DE JANEIRO ¿ A polícia do Rio vai investigar se as algemas usadas pelo suspeito de ter desarmado e atirado contra um PM dentro da 25ª DP (Engenho Novo) estavam em boas condições de uso. A perícia analisará a qualidade do material das três algemas ¿ descartáveis e feitas de plástico - que estavam prendendo as mãos do adolescente de 16 anos. Nessa quinta-feira, ele tomou a arma que estava na cintura do cabo Rodrigo Caetano da Silva e o baleou. Mesmo atingido, o policial conseguiu atirar no suspeito. Os dois morreram.

De acordo com a PM, o adolescente e um comparsa foram presos, na manhã dessa quinta-feira, por homens do 3º BPM (Méier), nas proximidades do Norte Shopping, após terem assaltado o taxista Antônio Gomes Paiva. Segundo a corporação, depois de roubarem R$ 30 do condutor, eles tentaram fugir, mas Paiva avistou uma viatura da PM e relatou o assalto.

Os dois suspeitos, que estavam armados, acabaram detidos e foram levados para a unidade policial. Segundo a PM, durante a realização do boletim de ocorrência, um dos suspeitos ¿ que estava com as mãos amarradas em um lacre de plástico - conseguiu pegar a própria arma e desarmar o cabo.

O revólver estava na cintura do policial que, mesmo ferido, conseguiu atirar contra o jovem, que morreu no local. Bombeiros foram encaminhados para socorrer o cabo. Ele foi encaminhado para o hospital Salgado Filho, na zona norte, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

Leia também:


Leia mais sobre: Violência no Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.