Polícia admite erro na morte do coordenador do AfroReggae

RIO DE JANEIRO - O comandante-geral da Polícia Militar (PM), coronel Mário Sérgio Duarte, admitiu que a polícia errou no episódio em que o coordenador do AfroReggae, Evandro João da Silva, foi assassinado, em um assalto na madrugada de domingo.

Agência Estado |

"É ruim saber que os policiais erraram. Eles são preparados para agir nas situações mais difíceis, e agir na repressão ao delito é o que se espera deles. A PM errou, trabalhou mal. Temos que ser maduros e profissionais para admitir o erro. É imperativo pedir desculpas", afirmou o comandante, que disse estar solidário à família de Evandro.

AE
Policial supostamente com pertences de Evandro na mão

Os criminosos atiraram no coordenador do grupo cultural depois de roubar o par de tênis e o casaco dele. Eles foram detidos por policiais do 13.º Batalhão, da Praça Tiradentes, mas acabaram liberados depois de entregar os objetos aos PMs. Os policiais não prestaram socorro a Evandro.

AE
Corpo de Silva no chão com o carro da polícia passando ao fundo

O coronel Mário Sérgio Duarte divulgou o nome dos agentes: o capitão Denis Leonardi Nogueira Bizarro e o cabo Marcos de Oliveira Salles. Eles ficarão detidos no 13.º Batalhão até sábado ou podem continuar presos caso a Justiça determina a prisão preventiva dos dois acusados. O capitão era o supervisor do patrulhamento do batalhão naquela noite. Ele e o cabo abandonaram a ocorrência. Outra equipe assumiu o caso.

Leia mais sobre:  assaltos

    Leia tudo sobre: assalto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG