RIO DE JANEIRO ¿ A Polícia Civil do Rio tem indícios que o corpo da engenheira Patrícia Aimeiro foi esquartejado, queimado e então jogado em local de desova situado nas proximidades do local onde ela desapareceu, na Barra da Tijuca, zona oeste, no último dia 14 de junho. Nessa quarta-feira, seguindo uma denúncias, agentes realizaram buscas de helicóptero na Estrada do Urubu, perto do Riocentro, mas não encontraram pistas do crime.


Nós estamos checando todas as informações relacionadas ao aparecimento de corpos e a busca também de locais alvos de denúncias, de investigação, disse o delegado Marcos Reimão à reportagem da Band News.

De acordo com ele, dois policiais são suspeitos de terem atirado no carro de Patrícia, mas a polícia busca provas de um possível telefonema que um PM teria feito na madrugada do ocorrido para um homem não identificado. Ele teria buscado um carro descaracterizado para levar o corpo da engenheira para um local de desova.

A polícia pediu a quebra do sigilo telefônico dos dois PMs e outros quatro policiais que teriam ajudado os suspeitos também estão sendo investigados.

De acordo com a polícia, nos próximos três dias o Grupamento de Busca e Salvamento (GBS) do Corpo de Bombeiros vai realizar uma grande operação de busca no curso das marés da capital e Região Metropolitana a fim de encontrar o corpo de Patrícia.

O delegado informou, nessa quarta-feira, que a perícia realizada pelo Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) comprovou que o calibre das armas utilizadas contra o veículo coincide com o calibre das armas dos policiais presentes no ocorrido.

Os tiros foram feitos por pelo menos duas armas, entre elas uma pistola calibre 9 mm, outra de calibre .380 e a terceira de calibre .40. A polícia aguarda os laudos das 15 armas que foram recolhidas dos seis PMs que estiveram no local que a engenheira desapareceu para saber se as balas fragmentadas no carro partiram das armas dos policiais.

O caso

A engenheira Patrícia Amieiro está desaparecida desde o dia 14 de junho. Ela voltava de um show do Monobloco no Morro da Urca quando teria batido com o carro na chegada à Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio. O veículo foi encontrado dentro do Canal de Marapendi.

O carro de Patrícia caiu de uma altura de 15 metros. O veículo foi encontrado com o vidro traseiro quebrado e o porta-malas aberto. O cinto de segurança estava afivelado e não havia vestígios de sangue. Segundo os bombeiros que participaram das buscas, foram encontrados o relógio e a pulseira da engenheira dentro d´água, próximo ao carro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.