Tamanho do texto

SÃO PAULO - O delegado Francisco Assis Magano do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse, nesta quarta-feira, que a polícia acredita que Ana Lívia Destefani Luciano, de 16 anos, e Giovanna Maresti SantAnna Silva, de 15 anos, desaparecidas desde quinta-feira passada, fugiram de São Paulo e teriam sido vistas no Rio Grande do Sul.

AE
Maria Valéria Destefani, mãe da garota Ana Lívia
Segundo o delegado, a polícia recebeu inúmeros telefonemas de pessoas que teriam visto as meninas em Uruguaiana, no RS. A polícia da cidade já está mobilizada para encontrá-las.

Francisco disse também que nenhuma hipótese está descartada e que não garante que as meninas não tenham sofrido algum tipo de violência e que tenham sido levadas à força.

Segundo a Agência Estado, o último contato das garotas com suas famílias foi feito por Giovanna. Ela ligou pouco antes da meia noite para a avó dizendo que tinha deixado o Espaço Unibanco de Cinema, na rua Augusta, e que iria dormir na casa da amiga, que mora em Alto Pinheiros.  

As duas ainda conheceram um estudante de Relações Internacionais da USP que esperava o pai em um ponto de ônibus na Avenida Paulista. Já era uma da madrugada e pediram carona até o Terminal Barra Funda, na zona oeste da cidade. No trajeto, segundo o pai do universitário, elas teriam comentado que iriam trabalhar em Buenos Aires, na Argentina, mas que antes tinham de passar por Monte Verde, em Minas Gerais.

Leia mais sobre: meninas desaparecidas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.