a morte por pneumonia de uma adolescente de 15 anos durante um voo de volta dos EUA, fica a dúvida sobre a forma de agir quando alguém está com doenças respiratórias e vai viajar. As condições dentro de um avião prejudicam a saúde e agravam a doença?" / a morte por pneumonia de uma adolescente de 15 anos durante um voo de volta dos EUA, fica a dúvida sobre a forma de agir quando alguém está com doenças respiratórias e vai viajar. As condições dentro de um avião prejudicam a saúde e agravam a doença?" /

Pneumonia é uma doença instável e paciente deve evitar viajar, diz médico

Após http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2009/08/02/adolescente+morre+em+voo+de+volta+da+disney+para+sp+7641919.html target=_topa morte por pneumonia de uma adolescente de 15 anos durante um voo de volta dos EUA, fica a dúvida sobre a forma de agir quando alguém está com doenças respiratórias e vai viajar. As condições dentro de um avião prejudicam a saúde e agravam a doença?

Redação |

O Último Segundo entrevistou o médico Clystenes Odyr Soares Silva, professor adjunto e chefe do setor de Pronto Atendimento da Pneumologia do Hospital São Paulo, entidade ligada à Unifesp.

O médico disse que, no caso da garota, estar em um avião pode ter sido um fator agravante, pois as condições atmosféricas de um ambiente como este não são adequadas, por causa do ar seco, da temperatura baixa e da menor quantidade de oxigênio.

Silva disse não poder avaliar especificamente este caso da adolescente, mas o que aconteceu com ela não foi por ela estar dentro de um avião. Isso provavelmente aconteceria, mas estar dentro de um avião foi um fator agravante, mas se ela estivesse em terra provavelmente teria chances de ser atendida e levada à uma UTI.

Sobre a possibilidade de uma pessoa doente viajar, o médico diz que nenhum doente instável deve fazer uma viagem aérea, "mas um paciente crônico que está estável, tudo bem". Ele continua dizendo que, em "uma doença aguda instável, que não se sabe para onde deve caminhar, viajar deve ser evitado.

O pneumologista disse que não são apenas os portadores de doenças respiratórias que devem evitar viajar, mas também pessoas que têm problemas como os de pressão, angina ou mesmo algum distúrbio intestinal. São conceitos básicos, mas uma viagem de uma hora é uma coisa, enquanto que uma viagem intercontinental é completamente diferente.

A pneumonia é uma doença que pode mudar bruscamente e ter uma evolução em questão de dias ou de horas, diz o médico. A pessoa pode estar já tratando e em algumas horas ela pode piorar de uma maneira grave e precisar ir pra um hospital, isso é imprevisível, principalmente nas primeiras 72 horas de tratamento. Ele segue dizendo que, por dedução, ninguém que está com pneumonia pode fazer uma viagem de longa distância.

Sobre o procedimento que deve ser tomado por alguém que está doente, Silva diz que o paciente deve ir ao médico, para ver se ele autoriza, e caso esteja liberada a viagem, devem ser seguidas as orientações. Caso você esteja viajando ao lado de uma pessoa que tenha uma crise de asma, ou alguma crise respiratória, deve chamar um comissário de vôo, para que ele peça o auxilio de um médico.

Recomendações

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) diz que, se a pessoa tiver um problema respiratório crônico e estiver em crise no momento da viagem a orientação é não viajar. O melhor é fazer uma avaliação antes com um médico.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) diz que todos os tripulantes têm aulas de primeiros socorros e que o passageiro deve reportar possíveis sintomas, mas não há uma restrição em relação a esse tipo de viagem.

A Companhia Aérea Gol informou que adota os procedimentos a bordo de acordo com as normas da Anac.

Leia mais sobre : pneumonia

    Leia tudo sobre: aviãopneumoniaviagem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG