Pnad: acesso à internet cresce, mas com desigualdade

O porcentual de domicílios com acesso à internet prosseguiu em crescimento no País no ano passado, mas as diferenças regionais também persistiram. Em 2008, segundo a Pnad divulgada há pouco pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 23,8% dos domicílios brasileiros dispunham de microcomputador com acesso à internet, porcentual superior ao apurado no ano passado (20,0%), totalizando 13,7 milhões de domicílios.

Agência Estado |

Segundo os técnicos do IBGE, os números da Pnad "refletiram a desigualdade de acesso à informação a partir da Internet". Enquanto a região Sudeste possuía 31,5% dos seus domicílios conectados à internet no ano passado, na região Nordeste esse porcentual era de 11,6% e no Norte, de 10,6%.

A Pnad também revelou um aumento no porcentual de domicílios que possuíam microcomputadores no País, que passou de 26,5% em 2007 para 31,2% em 2008, atingindo 17,9 milhões de domicílios. De acordo com a pesquisa, mais da metade dos domicílios brasileiros que possuíam computador no ano passado estavam na região Sudeste, que totalizava 10,1 milhões de domicílios com essa característica.

A Pnad é realizada anualmente e investiga os temas de habitação, rendimento e trabalho, associados a aspectos demográficos e educacionais. A pesquisa tem seus primórdios em 1967, quando foi iniciada apenas na área do Rio de Janeiro, e na atualidade é realizada nacionalmente, por meio de uma amostra de domicílios. No levantamento divulgado hoje foram pesquisadas 391.868 pessoas e 150.591 unidades domiciliares, distribuídas por todo o País. A parte de rendimento da Pnad aperfeiçoa a estimativa de rendimento das famílias usada nas contas nacionais. Além disso, a Pnad é utilizada na estimativa da população brasileira. A pesquisa ainda é tomada como base para o estudo chamado Síntese de Indicadores Sociais, que o IBGE divulgará em outubro.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG