PMs acusados de matar João Roberto vão a júri popular

Os policiais militares acusados de matar o menino João Roberto Amorim Soares, de 3 anos, na Tijuca, zona norte do Rio, serão levados a júri popular. A decisão foi tomada hoje pelo juiz Paulo de Oliveira Lanzellotti Baldez, titular do 2º Tribunal do Júri da capital.

Agência Estado |

Para o magistrado, há indícios suficientes de que o soldado Elias Gonçalves da Costa Neto e o cabo Willian de Paula cometeram o crime, conforme denúncia do Ministério Público.

"Embora tenham exercido em Juízo o direito de permanecerem em silêncio (durante interrogatório em 6 de agosto), os acusados admitiram em sede policial que no dia, hora e local dos fatos efetuaram os disparos de arma de fogo", afirmou Baldez em seu despacho, segundo o Tribunal de Justiça do Rio. Para que a instrução criminal não seja prejudicada, o juiz determinou que os PMs continuem presos até o julgamento, cuja data ainda não foi definida. A defesa dos réus ainda pode recorrer da sentença.

Em 6 de julho deste ano, os PMs efetuaram ao menos 17 disparos de pistola e fuzil contra o carro em que João estava com sua mãe, a advogada Alessandra Soares, e o irmão dele, Vinícius. Eles alegaram que confundiram o carro da família com outro ocupado por bandidos.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG