PMs aceitam propostas e não entram em greve no Espírito Santo

Policiais concordaram com proposta, mas decidiram dar um prazo até o dia 28 de março para que o governo apresentar indices de reajuste

AE |

selo

Os policiais e bombeiros militares do Espírito Santo decidiram ontem à tarde, durante assembleia, aceitar as propostas do governo e não entrar em greve. Apesar de a categoria aceitar as propostas apresentadas pelo governo do Estado, uma nova assembleia para decidir sobre uma possível paralisação foi marcada para o próximo dia 28 de março.

Brasil: Em ao menos 21 Estados, salário de policiais é inferior a R$ 2,5 mil; Paraná é o menor
Distrito Federal: PMs entram em estado de greve e iniciam operação-padrão
Paraná: Policiais civis do Paraná podem entrar em greve no sábado

Segundo a Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo, as propostas do governo do Estado para a categoria são análise da projeção de estrutura das carreiras, com previsão de conclusão no mês de junho de 2012, que resultará em porcentual a ser definido nas tabelas de subsídio e do soldo; revisão do Quadro Organizacional da PM e do Corpo de Bombeiros a ser apresentada no aniversário da instituição no dia 6 de abril; promoção do soldado a cabo com 15 anos de serviço.

Pós-greve: Governo da Bahia garante 20 mil policiais no carnaval 

Os policiais concordaram com todos os itens, mas decidiram, em votação, dar um prazo até o dia 28 de março para que o governo do Estado anuncie os índices de reajuste na tabela de subsídios e soldos. A categoria pediu um aumento de 46% no subsídios, dividido em três anos.

    Leia tudo sobre: grevepmespírito santo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG