O presidente do diretório estadual do PMDB do Paraná, deputado estadual Waldyr Pugliesi, um dos que assinaram a ação judicial que pretendia a suspensão da convenção do partido, realizada hoje, disse que é preciso, a partir de agora, uma mobilização daqueles que defendem a discussão de uma candidatura própria. Aqueles que defendem candidatura própria tem que trabalhar para, em junho, comparecer à convenção nacional e colocar uma ou duas pré-candidaturas para disputar, afirmou.

Em relação à convenção de hoje, ele destacou que não há o que fazer, a não ser uma análise. "Foi uma manobra maquiavélica, tirando o poder de movimentação daqueles que não concordavam." Pugliesi ressaltou que não questiona a presidência do deputado federal Michel Temer (PMDB-SP) na legenda. "O que não queremos é que seja entregue como vice", disse. "Tem que construir uma política para fazer uma nação e não se transformar em um mercado."

Segundo ele, há um levantamento que mostra que 24 diretórios estaduais querem a candidatura própria. "Mas tem muito chão até a convenção nacional e ninguém sabe o que vai acontecer." O presidente do diretório paranaense afirmou ainda que o nome do governador do Paraná, Roberto Requião, continua colocado como uma alternativa de candidatura própria. "Ele tem recebido várias manifestações."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.