PMDB-MG reforça assédio a Aécio em evento para Costa

O lançamento hoje da pré-candidatura do ministro das Comunicações, Hélio Costa, ao Palácio da Liberdade, serviu de pano de fundo para que o PMDB mineiro fizesse um explícito gesto de apoio ao projeto presidencial do governador Aécio Neves (PSDB). Com críticas à supremacia paulista no Palácio do Planalto, líderes do PMDB estadual reforçaram o assédio ao tucano e defenderam a união de Minas para a eleição de um político do Estado para a Presidência.

Agência Estado |

"O governador é uma força e o PMDB continua de braços abertos para recebê-lo", discursou o ministro das Comunicações, provocando a manifestação da plateia: "Doutor, eu não me engano, o Aécio não é tucano", gritaram em coro os peemedebistas, que lotaram o auditório do hotel. "Ninguém chega à Presidência da República sem conquistar a mente e o coração dos mineiros", emendou Costa, que trabalha para ter o apoio de Aécio na disputa pelo Palácio da Liberdade.

"É uma gentileza de um partido ao qual ao pertenci e com o qual eu mantenho muitas boas relações", desconversou Aécio, ao ser informado sobre as manifestações a seu favor. O governador, que trabalha pela realização de prévias no PSDB, nega intenção de deixar a sigla. Mas não deixa de flertar com os peemedebistas, com o argumento de que articula para atrair o partido para uma aliança em 2010. Aécio não compareceu ao 1º Encontro Consultivo do PMDB mineiro, mas fez questão de ligar para Costa, convidando ele e outros líderes peemedebistas do Estado para "um café" nos próximos dias.

Principal nome nacional do PMDB presente ao evento - que reuniu cerca de mil participantes no Hotel Ouro Minas, segundo os organizadores -, o presidente da Câmara, Michel Temer (SP), chegou atrasado e destoou do clima pró-Aécio. Disse que o governador de Minas tem velhas amizades no partido, mas que as conversas em torno da possibilidade de ele ingressar no partido "deram-se no passado". "Hoje eu acredito que seja um pouco complicado para ele. Não vejo como ele possa migrar de partido", afirmou Temer.

'Levante'

Antes da abertura do encontro, o presidente do PMDB mineiro, deputado federal Fernando Diniz, chegou a falar para uma rádio de Belo Horizonte em "levante" de Minas para que um político do Estado volte ao Palácio do Planalto. "Essa supremacia paulista não está fazendo bem para o Brasil. Nós somos mais 26 entidades da federação e quero crer que não desejamos que os paulistas continuem mandando no País", firmou depois, em entrevista.

Para Diniz, caso "cerceiem o direito" do governador de concorrer pelo seu partido, "ele, como um grande estadista, buscará outras legendas". Ao final do encontro, a defesa da "união de Minas Gerais para a eleição de um mineiro para Presidência da República" encabeçou a "Carta Compromisso" aprovada pelos peemedebistas mineiros.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG