PMDB se divide na celebração das vitórias no Congresso

A vitória dupla do PMDB, que elegeu os presidentes da Câmara e do Senado na segunda-feira, foi comemorada em duas festas distintas, deixando evidente a divisão do partido. O PMDB da Câmara, liderado pelo presidente eleito Michel Temer (SP) e pelo ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (BA), festejou no salão de um hotel sofisticado de Brasília, com direito a música ao vivo, karaokê e dança.

Agência Estado |

A parte da legenda ligada aos senadores, tendo à frente o novo presidente da Casa, José Sarney (AP), comemorou em tom mais discreto.

O anfitrião consumiu boa parte da festa em sua casa sentado, atendendo à fila de cumprimentos num interminável beija-mão. Quando o ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou para dar seu abraço em Sarney, encontrou-o postado ao lado de dois ex-presidentes peemedebistas do Congresso que não conseguiram terminar o mandato por suspeita de corrupção: o deputado Jader Barbalho (PA), ainda hoje mais identificado com o PMDB do Senado do que com o da Câmara, e o novo líder Renan Calheiros (AL).

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, telefonou da festa de Temer para cumprimentar Sarney. O único petista visto na casa do novo presidente do Senado foi o senador Delcídio Amaral (MS). A comemoração de Temer foi bem mais eclética, por conta da presença de representantes dos 14 partidos que participaram da aliança vitoriosa, além de quatro ministros de Estado (Saúde, Integração, Defesa e Relações Institucionais) e dezenas de peemedebistas alojados no segundo escalão federal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG