PMDB oficializa candidatura de Garibaldi à reeleição na presidência do Senado

BRASÍLIA - A bancada do PMDB no Senado oficializou nesta quarta-feira a candidatura do presidente Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) à reeleição na presidência da Casa. A decisão foi tomada em unanimidade após duas horas de reunião no gabinete da liderança do partido, onde o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) comunicou que não será candidato à vaga.

Carol Pires, Último Segundo/Santafé Idéias |

O presidente Sarney disse que não seria candidato. O presidente Garibaldi então se apresentou e a bancada apoiou por unanimidade. As dúvidas legais sobre seu direito de concorrer serão dirimidas em fevereiro, quando ele formalizar seu nome na corrida, afirmou o líder do Governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

Durante o encontro da bancada, o senador Garibaldi apresentou dois pareceres jurídicos afirmando a legalidade de sua candidatura. Isso porque a líder do PT, Ideli Salvatti (SC) questiona a disposição de Garibaldi em ser reconduzido ao cargo, uma vez que o regimento interno na Casa proíbe reeleição de um presidente em uma mesma legislatura.

Assinados pelo jurista Manoel Gonçalves Filho, da Universidade de São Paulo, e pelo advogado fluminense Diogo Figueiredo Neto, os pareceres entendem que a primeira eleição de Garibaldi não passou pelas sessões preparatórias previstas no regimento e por isso, não representaria a recondução do peemedebista ao cargo, mas uma eleição de fato.

Garibaldi foi eleito em dezembro de 2007 para um mandato tampão, para cobrir o último ano de gestão do ex-presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), que renunciou ao cargo sob denúncias de quebra de decoro parlamentar.

Para Garibaldi, o argumento é o suficiente. Minha candidatura é plenamente sustentável. Tenho os pareceres que vão mostrar que posso ser candidato e o plenário vai mostrar que posso ser eleito. Tenho o apoio da bancada e agora é sair atrás dos votos para ganhar a eleição, afirmou. Não sei porque o presidente Sarney não sairia agora afinal ele foi a primeira opção do partido. E não há plano B, porque o PMDB só tem B no nome, ironizou.

Formalizada a candidatura de Garibaldi na sucessão da presidência, o senador Tião Viana (PT-AC) deixa de ser o único postulante ao cargo. De acordo com o líder do PSDB, Arthur Virgílio (AM), a oposição ainda não definiu a quem dará apoio. "Só posso dizer que não quero um porta-voz do Lula aqui. Precisamos de um presidente independente", disse. 

Liderança

A decisão sobre quem será o novo líder da bancada, hoje sob comando do senador Valdir Raupp (RO), ficou para fevereiro. A expectativa é que Renan Calheiros assuma a vaga. Questionado se é candidato ao cargo, Renan se esquivou. Liderança não se postula, o cargo de líder é um entendimento da bancada, disse.

    Leia tudo sobre: garibaldisenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG