O PMDB e o PT caminham para uma saída consensual na escolha do novo secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia. Já se sabe que o nome escolhido será o de um técnico e, nos bastidores, pelo menos três funcionários do Ministério estão na disputa para assumir, de abril a 31 de dezembro, o cargo que hoje é exercido por Márcio Zimmermann.

A partir do dia 1º do mês que vem, Zimmermann assumirá o comando do Ministério, já que o ministro Edison Lobão terá de sair para poder concorrer a uma renovação do seu mandato de senador pelo PMDB do Maranhão.

O nome mais cotado para novo secretário-executivo é o de José Coimbra, atual chefe de gabinete de Lobão. Funcionário de carreira da Eletronorte, Coimbra foi chefe de gabinete do ex-ministro Silas Rondeau e, até por não ter filiação partidária, relaciona-se bem tanto como o PMDB quanto com o PT. Na condição de técnico, ele participou da equipe montada pela então ministra de Minas e Energia Dilma Rousseff, que elaborou o novo modelo regulatório do setor elétrico.

Estão no páreo outros dois funcionários graduados do Ministério de Minas e Energia: o atual secretário-executivo adjunto, Francisco Romário Wojcicki, e o secretário de Planejamento Energético, Altino Ventura.

Todos os três têm o perfil técnico que agrada tanto a Zimmermann quanto a Lobão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.