PMDB denuncia Arthur Virgílio ao Conselho de Ética

BRASÍLIA - O PMDB ingressou nesta quarta-feira no Conselho de Ética do Senado com representação contra o líder da bancada do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), cumprindo alerta do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que lidera os peemedebistas na Casa. Assinada pela presidente em exercício do PMDB, deputada Íris de Araújo (GO), a representação denuncia Virgílio por quebra de decoro parlamentar que, no limite da investigação, pode levar à cassação do mandato.

Reuters |

O PMDB acusa o senador de ter mantido por 18 meses um servidor de seu gabinete estudando na Espanha com salários pagos pelo Senado. Virgílio já iniciou a devolução ao Senado de 210,6 mil reais, em parcelas.

Renan havia alertado que o PMDB formalizaria uma acusação contra Virgílio por ter sido o senador que mais fortemente cobrou a saída do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), do cargo, como reação a acusações que vem recebendo. O tucano também entrou com denúncias no colegiado contra Sarney.

O movimento do PMDB coincide com a reunião do Conselho de Ética nesta tarde, que vai analisar a admissão das acusações contra Sarney. Das onze acusações, o colegiado vai determinar, nesta quarta, se cinco delas serão aceitas.

Leia também


Leia mais sobre crise no Senado

    Leia tudo sobre: arthur virgílioconselho de éticasenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG