A Executiva Nacional do PMDB, que se reúne logo mais à 15 horas, vai ignorar o apelo dos dissidentes do partido para adiar a convenção nacional, que elegerá a nova direção partidária. Apesar dos apelos do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, em favor do adiamento da convenção, a cúpula peemedebista, que se reuniu ontem à noite em Brasília, decidiu manter o calendário e realizar a reunião no dia 6 de fevereiro.

A avaliação é de que o adiamento só servirá para dar mais tempo aos dissidentes para se mobilizarem contra a parceria do PMDB com a possível candidata do PT e ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

Ficou acertado que o deputado Michel Temer será reeleito presidente nacional do partido e que o grupo dos contra também não terá espaço no novo diretório nacional, a quem cabe decidir as alianças eleitorais.

Com esse movimento, a cúpula governista garante ao PT a formação tranquila de uma chapa encabeçada pelo PT e com o PMDB de candidato a vice-presidente. Tudo isso será sacramentado na reunião de hoje à tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.