A cúpula do PMDB na Câmara, inclusive o presidente do partido, deputado Michel Temer (SP), se reuniu com o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), para transmitir ao Palácio do Planalto a advertência de que não assumirá o desgaste de rejeitar a Emenda 29, que aumenta os gastos do governo com a saúde pública. A informação é do líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Alves (RN).

Dirigentes do PMDB se dizem irritados com o fato de a base aliada ao governo no Senado ter aprovado a proposta praticamente por unanimidade. O líder Henrique Alves avalia que o Senado "empurrou" para os deputados o desgaste de atender aos apelos da área econômica do governo, que afirma não ter recursos para cobrir os gastos resultantes da aprovação da emenda: "O PMDB da Câmara não ficará contra essa emenda, até porque o ministro é nosso, é do PMDB", afirmou Alves, referindo-se ao fato de que o ministro, José Gomes Temporão, defende a aprovação da Emenda 29.

Antes da reunião com Jucá, Alves antecipou sua disposição de indagar do líder do governo a razão de seu voto favorável à emenda, uma vez que a área econômica afirma que não existem recursos para cobrir um aumento de gastos com saúde. Alves disse que, à tarde, irá ao gabinete do ministro da Fazenda, Guido Mantega, para comunicar a decisão da sua bancada de aprovar a Emenda 29 e para cobrar do governo a definição de uma fonte de recursos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.