PM volta a trocar tiros com traficantes no Rio hoje

Após o sábado violento, em que 12 pessoas morreram, um helicóptero da polícia foi abatido e pelo menos oito ônibus foram incendiados em vários pontos da zona norte do Rio, a Polícia Militar voltou a trocar tiros com traficantes na manhã de hoje. Na Favela do Jacarezinho, onde agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) realiza uma operação para encontrar traficantes que participaram da tentativa de invasão dos pontos de venda de drogas no Morro dos Macacos, dois homens foram mortos na manhã de hoje, em suposto confronto com os policiais.

Agência Estado |

Segundo a Polícia Militar, a operação ainda está em andamento e não há um balanço de presos e armas apreendidas.

No Morro dos Macacos, em Vila Isabel, homens do 6º Batalhão (Tijuca) também realizam uma operação, mas não houve troca de tiros esta manhã. Os policiais vasculham a comunidade em busca de traficantes do Comando Vermelho (CV) que podem estar escondidos. A quadrilha local, da facção criminosa Amigos dos Amigos (ADA) também é alvo da operação. No acesso ao Morro São João, quatro homens suspeitos foram detidos num automóvel.

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, e o comandante geral da PM, Mário Sérgio Duarte, estão reunidos no 6º Batalhão, onde foi montado um gabinete de crise. O policiamento em toda a cidade foi reforçado com a convocação de homens de folga e de outros batalhões da região metropolitana. Uma prova para o curso de novos sargentos foi suspensa.

Frustrada a invasão nos Macacos, o objetivo da PM agora é prender traficantes que participaram do conflito de sábado, que aterrorizou moradores das favelas do Macacos e São João e do bairro de Vila Isabel, na zona norte. A polícia reforçou o policiamento em comunidades dominadas pelo CV, como Mangueira, Manguinhos e Jacaré, e também está presente nos acessos da Rocinha, controlada pela ADA. Na noite de sábado, a PM informou que prendeu o gerente do tráfico em Manguinhos, conhecido como Lacoste.

Além dos dois policiais que morreram carbonizados na queda do helicóptero da polícia abatido a tiros por bandidos no sábado, outras dez pessoas foram mortas nos confrontos. A polícia afirmou que são todos traficantes, mas moradores denunciam que três jovens encontrados mortos dentro de um carro são inocentes.
Dos quatro tripulantes do helicóptero que sobreviveram à queda e incêndio do aparelho, dois já tiveram alta. Dos outros dois que permanecem internados no Hospital da Polícia Militar, um ainda está em estado grave, com queimaduras em todo o corpo e vias aéreas. O quadro do outro policial é considerado estável.

Os dois policiais que morreram serão sepultados no Cemitério de Sulacap, na zona oeste, às 15h30. Considerados heróis pelo comandante da PM, eles deverão ser sepultados com honras militares na presença do coronel Duarte e o secretário Beltrame.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG