A Polícia Militar de São Paulo criou uma cartilha para orientar os mil policiais que prestam serviço na 12ª Parada do Orgulho GLBT, que ocorre neste momento. Nesta parada distribuímos para todos os policiais uma cartilha para reforçar a idéia sobre o que é homofobia e qual deve ser a postura no caso de qualquer incidente; a PM está aqui para garantir essa diversidade, declarou o comandante e supervisor da operação, coronel Álvaro Camilo.

Em sua avaliação, os mil policiais, que estarão distribuídos desde o Masp até a Praça Roosevelt, são um número "mais que suficiente" para garantir a segurança de um público estimado em 3,5 milhões de pessoas. No ano passado, o policiamento foi feito por cerca de 700 homens.

Camilo destacou que a PM tem mostrado que trabalha bem com o público GLS em outras situações, e que os dois principais problemas costumam ser a ingestão exagerada de bebida alcoólica e pequenos furtos, cometidos por infratores que se aproveitam da ocasião. "A Parada é um evento tranqüilo, o público que freqüenta, em sua maioria, não traz problema", analisou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.