PM reprime manifestação do PSOL pela saída de Sarney

Terminou em repressão pela Polícia Militar (PM) e por seguranças do Senado uma manifestação Fora Sarney organizada pelo PSOL, hoje. Depois de gritarem frases pela saída do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), próximo ao Congresso, um grupo de cerca de dez manifestantes, de um total de 30, subiu a rampa de acesso da Câmara para estender uma faixa.

Agência Estado |

Policiais, que fazem a guarda do lado de fora do prédio, reprimiram o ato e tomaram a faixa com a ajuda de seguranças do Senado, apesar de os manifestantes estarem no lado da Câmara. Dois assessores do PSOL foram presos e levados para a sala de segurança do Senado.

Os detidos só foram soltos após a intervenção dos deputados Chico Alencar (PSOL-RJ) e Ivan Valente (PSOL-SP), líder da bancada na Câmara. O presidente do PSOL no Distrito Federal, Antonio Carlos de Andrade, afirmou que foi agredido por policiais. Ele teve uma das mãos machucada. "A polícia do Senado, ainda mais depois de encerrada pacificamente a manifestação, não tinha o menor direito de fazer o que fez. Um abuso, uma arbitrariedade, pura retaliação", protestou Alencar.

Leia também:


Leia mais sobre: crise no Senado

    Leia tudo sobre: psolsenadosenadores

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG