PM quer apagar imagem de repressora

As Polícias Militares de todos os Estados começam, com o segundo congresso nacional de seus oficiais (Coname), uma ofensiva nacional para retirar da corporação o estigma de braço da repressão política do regime militar (1964-1985). Estamos construindo uma nova polícia, comprometida com os direitos humanos e a cidadania, mas ainda temos um resíduo muito grande no nosso ordenamento jurídico que vem do passado de ditadura e do qual queremos nos livrar, afirmou o presidente da Associação dos Oficiais Militares do Distrito Federal, major Oliveira Lima.

Agência Estado |

A estratégia dos militares inclui mudanças no modo de abordagem em ações policiais, o que inclui intensa integração comunitária e até abolição de velhos símbolos, como a indefectível farda azul copiada em todos os Estados por inspiração das Forças Armadas. Com a presença dos ministros da Justiça, Tarso Genro e do Meio Ambiente, Carlos Minc, o evento será aberto hoje com um desfile de manequins profissionais que exibirão os novos figurinos a serem usados pelos integrantes das PMs de todo o País.

Os policiais vão tirar posição dura contra as restrições ao uso da algemas, impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e discutir temas preocupantes, como a violência urbana e segurança nas escolas, além de inteligência policial. O ponto alto, porém, será a deflagração de um movimento nacional para tirar da PM o estigma de braço da repressão política", enfatizou. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG