PM permanece na favela Paraisópolis-SP após confronto

A Polícia Militar de São Paulo ainda mantém 120 soldados na favela de Paraisópolis, zona sul de São Paulo, onde um protesto de moradores deixou carros incendiados e pelo menos um estabelecimento comercial depredado, no início da noite de hoje. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), dois soldados foram baleados durante a repressão ao protesto - um oficial da Força Tática e um da Tropa de Choque.

Agência Estado |

Ambos foram internados e não correm risco de morrer. Nove pessoas foram presas - seis adultos e três menores.

Todos foram encaminhados ao 89º DP da capital. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informou que o trânsito permanecerá bloqueado na região até a liberação pela PM (que não tem hora prevista para acontecer), entre as ruas Dr. Francisco Tomas de Carvalho e Dr. Flávio Américo Maurano, que fazem a ligação entre as avenidas Morumbi e Giovanni Gronchi. A alternativa para o motorista é seguir pela Giovanni Gronchi.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG