A Polícia Militar (PM) ampliou em 20 quarteirões a atuação contra os camelôs ilegais na região do Brás, no centro de São Paulo. Ontem, teve início a terceira fase da ação.

A operação começou em janeiro, no Largo da Concórdia, e foi estendida até a Rua Oriente. Agora, os policiais também vão atuar no perímetro entre as Ruas João Teodoro e Xavantes.

Em quase dois meses, houve redução na quantidade de camelôs. Atualmente, só 57 barracas têm o Termo de Permissão de Uso (TPU) para atuar na região. A operação no Brás é fruto de um convênio entre a Prefeitura e o governo do Estado com validade de três anos e renováveis por mais dois.

Segundo o capitão Ezequias Ribeiro da Costa, a ação policial se baseia no modelo aplicado na região da Rua 25 de Março, outro ponto tradicional de consumo de material pirata. Para ele, a ação da polícia tem de buscar resultado permanente. "O maior desafio é promover um trabalho de reflexão dos camelôs e consumidores", disse.

O aumento da fiscalização divide os lojistas. Alguns reclamam de queda no movimento, enquanto outros admitem que têm mais tranquilidade para trabalhar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.