PM teve o carro fechado pelo do juiz, que já teria descido do veículo com uma pistola 9mm em punho

Foi sepultado na tarde deste domingo, em Salvador, o corpo do juiz Carlos Alessandro Pitágoras Ribeiro, de 38 anos, substituto da Comarca de Camamu, sul da Bahia. Ele foi assassinado à queima-roupa, por um policial militar em serviço, após se envolver em uma briga de trânsito, nas proximidades do shopping Iguatemi, na capital baiana.

Conforme declarações do próprio policial, Daniel dos Santos Soares, lotado na 35ª Companhia Independente da PM, e confirmado por testemunhas, o PM teve o carro fechado pelo do juiz, que já teria descido do veículo com uma pistola 9mm em punho.

O soldado alegou que atirou na clavícula do magistrado na intenção de detê-lo, mas a vítima teria continuado, sendo baleada no abdômen. O PM solicitou socorro, mas quando a ambulância chegou o juiz já estava morto. Ribeiro integrava o Conselho Fiscal da Associação dos Magistrados da Bahia (AMAB). O policial foi ouvido ainda no sábado e liberado para responder ao inquérito em liberdade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.