O sargento Anderson Correa da Silva foi morto neste domingo, com sete tiros, por assaltantes na Rodovia Washington Luís (BR-040), no acesso à Linha Vermelha, em Duque de Caxias, na região metropolitana do Rio de Janeiro. Lotado no Grupamento Tático de Motociclistas (GTM) do Batalhão de Choque da Polícia Militar (PM) e presidente de um motoclube, o policial e outras oito pessoas, em cinco motos, voltavam de um evento ocorrido em Teresópolis, região serrana fluminense, quando o grupo foi abordado por ocupantes de um veículo de passeio.

Segundo policiais civis do 59ª Delegacia, de Duque de Caxias, que ouviram o relato da namorada da vítima, quatro criminosos pararam os motoqueiros com a intenção de roubar uma das motos, mas, ao perceberem que Correa estava armado, se aproximaram do sargento e atiraram contra ele.

A advogada ocupava a garupa da moto, mas não foi atingida. Baleado no abdome e nas costas, Anderson morreu quando era atendido no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias. O corpo está no Instituto Médico Legal (IML) da cidade. Nada foi levado pelos criminosos.

Leia mais sobre violência

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.