Bruce Sousa, de 14 anos, foi morto por um tiro na nuca quando trafegava na garupa da moto de seu pai no bairro Dionísio Torres

selo

O soldado Yuri Silveira, acusado de atirar e matar na tarde de ontem um adolescente em Fortaleza, foi afastado de suas funções e poderá responder por homicídio doloso, segundo informações da polícia. "Ele foi afastado das funções e recolhido ao batalhão comunitário da PM (Polícia Militar)", explica coronel Werisleik Matias, comandante do Ronda do Quarteirão, que faz policiamento comunitário no Ceará. Ele confirmou a abertura de procedimento administrativo disciplinar hoje. "Em 45 dias vai ser dado o crivo da permanência ou não do soldado na PM."

Silveira, da turma de 2007, estava em estágio probatório, informou a PM, quando os agentes passam pela avaliação de sua conduta antes de serem efetivados na corporação. De acordo com Matias, o laudo sobre o homicídio será apurado pela Polícia Civil. "Vamos agir dentro da legalidade, da maneira mais transparente possível", disse o coronel, que afirmou ter sido permitido aos familiares do jovem o acompanhamento dos passos da PM durante a investigação.

O jovem Bruce Cristian de Oliveira Sousa, de 14 anos, foi morto por um tiro na nuca quando trafegava na garupa da moto de seu pai no bairro Dionísio Torres. Segundo a polícia, a moto passava pelo local, onde estava a Ronda do Quarteirão, que pediu para que parasse. O pai da vítima, o técnico em refrigeração Francisco das Chagas de Oliveira Sousa, de 37 anos, disse não ter ouvido o pedido e acabou sendo perseguido pela polícia. Ao parar em um farol, o policial atirou tentando acertar o pneu da moto. A bala acabou atingindo a cabeça do adolescente, que morreu no local.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.