PM descobre túnel do PCC em presídio de Avaré-SP

Um plano de fuga elaborado pela cúpula do Primeiro Comando da Capital (PCC) foi desarticulado ontem à noite. Um túnel de mais de uma centena de metros na Penitenciária 1 de Avaré, presídio de segurança máxima que já abrigou até o líder máximo da facção, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, foi encontrado.

Agência Estado |

Também foram apreendidas drogas e cinco integrantes da organização criminosa foram presos. A investigação durou seis meses e foi um trabalho conjunto entre o serviço de informações da Polícia Militar e da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

Até as 22h30 de ontem, os policiais militares ainda estavam vasculhando o interior do túnel. Duas casas, uma delas com 15 beliches, haviam sido alugadas pela facção criminosa na cidade. A desconfiança dos serviços de informação é que o túnel ou uma tomada de assalto do presídio seriam os métodos usados pela facção para uma fuga em massa de presos. Um informante contou aos policiais que R$ 600 mil foram gastos. Pelo menos cinco pistolas estariam no interior do túnel, mas a polícia desconfia que o lugar esconda também fuzis.

O informante dos serviços de inteligência contou que a cúpula da facção havia mandado uma mulher chamada Márcia cuidar dos contatos entre os criminosos envolvidos na construção do túnel em Avaré e os integrantes do PCC em São Paulo. A construção do túnel teria sido arquitetada por dois líderes do PCC. Trata-se de Roberto Soriano, o Tiriça, e Fabiano Alves de Souza, o Biano - ambos foram transferidos de Avaré para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau. Outro líder da facção que restaria envolvido seria o traficante Edílson Nogueira Borges, o Biroska. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG