Playboy diz que vai manter revista nos EUA apesar da crise

NOVA YORK (Reuters) - A Playboy Enterprises nomeou nesta terça-feira como presidente um veterano da indústria de entretenimento adulto, enquanto seu executivo-chefe prometeu continuar a publicar a revista. Alex Vaickus será o presidente da empresa, um novo cargo, e vai supervisionar todos os seus negócios, como produtos impressos, de televisão e mídia digital, disse a Playboy em um comunicado.

Reuters |

Ele irá prestar contas ao chefe-executivo, Scott Flanders, que irá permanecer envolvido nas operações da empresa e se concentrar em um "reposicionamento estratégico", disse ele à Reuters em entrevista.

Flanders não disse quais serão as mudanças, mas declarou que a empresa não pretende acabar com a edição impressa.

"Só sobre o meu cadáver vão deixar de imprimir a revista."

A revista de fotos de mulheres nuas e entrevistas com celebridades tem fãs e assinantes de longa data, mas material similar pode ser encontrado de graça na Internet, o que força a Playboy a buscar outras fontes de renda.

A empresa também cortou empregos para diminuir seus gastos e perdas, assim como muitos grupos de comunicação nos EUA recentemente, e no início deste ano disse "estar disposta a ouvir" ofertas de potenciais compradores.

(Reportagem de Robert MacMillan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG