Plantões médicos podem ter reajuste de 73% em SP

O governo do Estado de São Paulo enviou ontem à Assembléia Legislativa um Projeto de Lei Complementar (PLC) que prevê um reajuste de 73% no valor dos plantões pagos a médicos, médico sanitarista e cirurgiões dentistas de São Paulo. Além disso, a proposta também inclui a criação de 300 vagas para o cargo de biomédico, que serão preenchidas em concurso público.

Agência Estado |

De acordo com a Secretaria de Gestão Pública, o aumento nos plantões vai melhorar os rendimentos mensais de cerca de oito mil servidores do Estado. Caso essa correção seja aprovada pelos deputados, o valor recebido por esses funcionários públicos vai subir de R$ 380 para R$ 660.

O governo também propõe a incorporação dos R$ 25,36 pagos como Gratificação Extra e dos R$ 60 da Gratificação de Assistência e Suporta à Saúde no salário-base dos servidores. Essa mudança atingiria 60.639 servidores ativos e outros 10.750 inativos do setor da saúde, inclusive aqueles do Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público (Iamspe).

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (SindSaúde-SP), o aumento de 73% nos plantões é bem visto, mas não é suficiente. "Embora o valor seja alto, gostaríamos que fosse incorporado ao salário também, pois aí contaria para o valor da aposentadoria", disse o secretário-geral da entidade, Hélcio Marcelino. "Os médico até podem ganhar bem, mas para isso devem trabalhar o mês inteiro nos plantões. Só que, se ficarem doentes e tiverem de se afastar, vão ganhar um benefício baixo, pois perderão esse incremento do valor do plantão." Outra crítica do representante dos trabalhadores é que apenas 8 mil servidores seriam beneficiados por essa proposta. O restante da categoria ficaria de fora. As informações são do Jornal da Tarde .

AE

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG