Planos descumprem regra

Nem todas as operadoras de planos de saúde estão cumprindo a Resolução Normativa 167, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que determinou a inclusão de cerca de 100 novos procedimentos na cobertura obrigatória dos convênios médicos a partir de ontem. O Jornal da Tarde entrou em contato com sete operadoras tentando marcar consultas com psicólogos, nutricionistas ou fonoaudiólogos, algumas das especialidades que passaram a fazer parte da cobertura obrigatória.

Agência Estado |

Duas delas não tinham ainda condições de agendar as consultas porque não havia disponível no sistema os profissionais credenciados para atender essas modalidades. Uma terceira oferecia o atendimento, mas limitado a uma única região da Cidade. As outras quatro agendaram consultas.

Na central da operadora Amil, o atendente informou que o cliente tinha direito ao procedimento desde ontem, mas por conta de um processo de adaptação às normas da ANS, ainda não haviam sido incluídos na rede da operadora os novos profissionais credenciados para atendimento. O atendente anotou os dados do cliente e encaminhou para a área responsável, afirmando que, assim que a rede credenciada estivesse adaptada, eles telefonariam para informar o local de atendimento mais próximo para o agendamento da consulta. Questionado sobre o prazo para esse retorno, o funcionário afirmou que a ANS havia concedido um prazo de dez dias para que o plano se adaptasse às novas normas.

A ANS negou a concessão de qualquer prazo adicional para que os planos se adaptem. "As operadoras foram informadas no dia 9 de janeiro sobre o rol de procedimentos, por meio da publicação da RN 167 no Diário Oficial da União. E tiveram até 1º de abril para adequarem a rede credenciada. Elas deveriam ter os profissionais disponíveis a partir de hoje (ontem)", informou a assessoria.

A Amil informou que, assim como outras operadoras, está fazendo os ajustes internos necessários para atender à resolução da ANS. "Essas adaptações devem ser feitas o quanto antes, mas ainda não podemos informar um prazo específico. Quanto à informação do prazo de dez dias passada pelo atendente, está errada. Estamos também corrigindo essas falhas", disse a assessoria.

Na Unimed Paulistana também não foi possível agendar a consulta porque a atendente informou que ainda não havia no sistema os profissionais credenciados para essa cobertura. O prazo que a operadora pediu para o retorno da ligação com o nome do profissional credenciado foi de 48 horas. Na Medial Saúde, só havia especialistas em nutrição credenciados na Zona Leste da Capital. O cliente que não quiser ou puder se deslocar até lá deve esperar até sexta-feira para ser informado sobre profissionais credenciados em outras regiões da Cidade. A Gama Saúde, a Intermédica, a Avimed e a Sul América Saúde agendaram a consulta sem restrições.

O consumidor que tiver a cobertura obrigatória negada deve reclamar à ANS.

    Leia tudo sobre: saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG