Planos de saúde de 9 milhões de brasileiros são reprovados pela ANS

BRASÍLIA - Os planos de saúde de cerca de 9 milhões de brasileiros estão abaixo do nível mínimo de qualidade exigido pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Levantamento do órgão revela que, em 2007, essas empresas - responsáveis por cerca de 20% de 45 milhões de beneficiários no País - não atingiram a nota mínima para serem consideradas medianas.

Agência Estado |

Participaram da pesquisa 1.327 operadoras ativas em 2007. Outras 482 nem chegaram a ser avaliadas - por não enviarem o mínimo de informações necessárias para a agência - e receberam nota zero.

A avaliação atribuiu notas de 0 a 1. Para serem consideradas medianas precisavam de pelo menos 0,4. Alguns dos critérios avaliados para a classificação foram a estrutura de atenção à saúde disponível aos beneficiários, o nível de satisfação relatado por eles e a condição econômica das empresas.

As operadoras de cerca de 20% dos beneficiários mostraram que não estão oferecendo um serviço de qualidade, diz o coordenador do Programa de Qualificação da ANS, Afonso Teixeira Reis.

A lista dos planos pode ser consultada no site da agência . A próxima fase é a fiscalização das operadoras reprovadas pela avaliação. A interferência de operadoras na liberdade de prescrição médica de exames e tratamentos levou a Associação Médica Brasileira a assinar um convênio com a ANS para a elaboração de diretrizes clínicas.

O objetivo é estabelecer 80 protocolos. A Associação Médica Brasileira (AMB) já havia editado outras 400 diretrizes, mas elas não vinham sendo cumpridas integralmente.

Leia também:

Leia mais sobre: planos de saúde

    Leia tudo sobre: plano de saúde

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG