Plano Nacional de Mudanças Climáticas não tem verba definida e metas são voluntárias

BRASÍLIA - O Plano Nacional de Mudanças Climáticas (PNMC), que visa reduzir emissão de gases de efeito estufa e ampliar o reaproveitamento de energia no Brasil, não possui metas obrigatórias e nem verba definida para sua implementação. De acordo com o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que lançou o programa nesta quinta-feira, as metas são voluntárias e setoriais.

Severino Motta - Último Segundo/Santafé Idéias |

Acordo Ortográfico Em relação ao custo, o titular da pasta disse que não é possível se definir o montante de recursos necessários devido ao longo prazo do Plano. 

"As metas são voluntárias e setoriais", disse. "Não tem custo geral, pois está ao longo de vários anos e implica a iniciativa privada", completou. 

Apesar de não haver um dado global da expectativa de redução na emissão de gases do efeito estufa (GEEs), o Plano traz alguns projetos setoriais para a redução. Um deles diz respeito à Petrobras, que se comprometeu em emitir 21,3 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera até 2012. 

Outra forma de avançar na redução de emissão de gases é o incentivo ao uso de carvão vegetal em detrimento do mineral na indústria siderúrgica. Pelas contas do ministério, com o combustível vegetal há uma redução de 3 toneladas de CO2 para cada tonelada de ferro processado. 

O PNMC ainda prevê a ampliação da produção de etanol, biodiesel e energia gerada através de biomassa, como o bagaçoda cana-de-açucar. Outro ponto importante é a ampliação da cogeração de energia do setor industrial. 

No PNMC consta a idéia de ampliar de 0,5% para 20% o percentual de cogeração de energia nas industrias. A cogeração se dá, num simples exemplo, aproveitando a fumaça e o calor de uma chaminé para rodar uma turbina que gere energia. 

A secretária de mudanças climáticas do ministério do Meio Ambiente, Suzana Kahn, disse que não é possível se definir metas claras para a redução de emissão de CO2 e outros GEEs devido aos múltiplos interesses envolvidos no processo. Disse também que, apesar das metas serem voluntárias, o Plano serve como um norte para o setor público e privado. 

"Eu não tenho um dado, por exemplo, do ministério dos Transportes ou de outro ministério, ainda precisamos de tempo para ter um dado mais específico", disse.

Leia mais sobre: meio ambiente

    Leia tudo sobre: meio ambientemeio-ambiente

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG