Plano de Defesa mantém serviço militar e cria o civil

Na Estratégia Nacional de Defesa, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou hoje, em cerimônia no Palácio do Planalto, foi mantido o serviço militar obrigatório e criado o serviço civil obrigatório. Este deverá funcionar nos moldes do antigo Projeto Rondon, criado no governo militar, que levava jovens universitários para prestar serviços em localidades carentes.

Agência Estado |

"No futuro, convirá que os que forem desobrigados da prestação do serviço militar obrigatório sejam incentivados a prestar um serviço civil, de preferência em região do País diferente da região das quais se originam", diz o texto do plano de Defesa. "Prestariam o serviço social de acordo com a natureza de sua instrução preexistente, além de receber instrução nova."

O serviço serviria, ao mesmo tempo, de oportunidade de aprendizagem, expressão de solidariedade e instrumento de unidade nacional. Os que o prestarem o serviço civil deverão receber treinamento militar básico que embase eventual mobilização futura. E passarão a compor força de reserva mobilizável.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG