Plano altera gestão do PAC da Amazônia Legal

O conteúdo do Plano Amazônia Sustentável (PAS) altera a gestão de projetos e obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em andamento nos nove Estados da Amazônia Legal. O PAS foi lançado hoje pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e do Meio Ambiente, Marina Silva, em solenidade no Palácio do Planalto.

Agência Estado |

Estavam presentes também os governadores dos Estados da região, à exceção dos do Maranhão, Jackson Lago (PDT), e de Roraima, José de Anchieta Júnior (PSDB). "Há evolução na espécie humana quando se discute a questão da Amazônia. Ela tem de ter um desenvolvimento bem elaborado, não podemos aceitar os predadores. É preciso um desenvolvimento diferenciado", afirmou Lula, em discurso. Ele disse que é necessário "aproveitar a sabedoria" dos habitantes da região para que se encontre um denominador comum no uso e aproveitamento da floresta.

O PAS contém quatro eixos temáticos: 1) ordenamento territorial e gestão ambiental, 2) produção sustentada com inovação e competitividade, 3) infra-estrutura para o desenvolvimento sustentado e 3) inclusão social e cidadania. Num livreto de 24 páginas do plano, distribuído durante a cerimônia, o governo apresenta mapas dos Estados da Amazônia Legal nos quais há obras do PAC em andamento, como hidrovias, portos, rodovias e ferrovias, além de construções para geração e transmissão de energia e infra-estrutura de habitação e saneamento.

Lula anunciou que o ministro extraordinário do Núcleo de Assuntos Estratégicos (NAE), Roberto Mangabeira Unger, é o coordenador do PAS e fez uma brincadeira com Marina e a chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, presentes à solenidade: "Dilma, eu disse que você é a mãe do PAC. Ninguém como você, Marina, para ser a mãe do PAS. De mãe em mãe, vocês percebem que estou criando a nova China aqui."

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG