Tamanho do texto

O Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, informou, no início da noite de hoje, que o quadro clínico de Ivo Pitanguy permanece o mesmo - ou seja ele continua com infecção respiratória - e que o cirurgião plástico será submetido a uma série de exames nos próximos dias. Pitanguy, que está internado no hospital desde a tarde de hoje, respira com ajuda de um balão de oxigênio.

Ele passou mal em sua casa de veraneio, na Ilha dos Porcos, em Angra dos Reis, litoral sul do Estado do Rio, e recebeu o primeiro atendimento na cidade. O cirurgião, que tem 82 anos, foi transferido para a capital à tarde, de helicóptero. Segundo Honório Vargas, cardiologista que o atendeu ainda no Pronto-Socorro Municipal de Angra, o estado do paciente é "delicado".

Vargas explicou que ele apresentou quadro de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), que é relacionada à idade e dificulta a respiração. Pitanguy deixou o hospital precisando de oxigênio suplementar. "Nesses casos, a oxigenação do sangue fica comprometida. A situação é delicada e inspira cuidados. Mas ele tem saúde boa e a tendência é que isso se resolva no ambiente hospitalar", afirmou o cardiologista, pela manhã.

De acordo com Vargas, Pitanguy "vinha com uma espécie de gripe há muito tempo, tratada com antibiótico, mas houve piora." Ele não apresenta problemas no coração, disse o médico. Pitanguy deixou o hospital, onde chegara às 8h30, lúcido e falando, apesar da dificuldade para respirar, e "comandou" o próprio atendimento.

Maior nome da cirurgia plástica brasileira, reconhecido internacionalmente como um mestre em sua especialidade, Pitanguy é mineiro e tem mais de 50 anos de carreira. Já realizou em torno de 60 mil cirurgias, tendo atendido a chefes de estado e artistas, e é autor de mais de 800 trabalhos publicados em revistas científicas. Professor e escritor, é membro da Academia Brasileira de Letras desde 1990 e já recebeu títulos de universidades de todo o mundo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.