Pistoleiros mataram líder do MST no Paraná em março, diz polícia

CURITIBA - A polícia prendeu, na manhã desta sexta-feira, várias pessoas acusadas de roubo e receptação de gado e de máquinas agrícolas no interior do Paraná. A quadrilha infiltrava homens no Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e é acusada pela morte de Eli Dallemole, líder do movimento, em março deste ano.

Redação |

Foi a ação desta quadrilha, em parceria com a ordem do dono da fazenda Copramil, que terminou na morte do sem-terra. Aproveitando a ordem de despejo forçado, os pistoleiros queriam se vingar de Dallemole que havia expulsado um dos bandidos do acampamento, afirmou o delegado Francisco Caricatti, que coordenou as investigações.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a quadrilha, formada por pistoleiros, ladrões e receptadores entrava no MST para conseguir terras e assim esconder o gado e as máquinas roubadas em lotes de acampamentos nas regiões de Ortigueira e Faxinal, no Norte do Estado.

Dallemole foi morto na noite de 30 de março, dentro de casa, no assentamento Libertação Camponesa, em Ortigueira, onde morava com a família.

Leia mais sobre: MST

    Leia tudo sobre: mst

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG