SÃO PAULO ¿ As quatro obras roubadas da Estação Pinacoteca, em São Paulo, voltam a ser expostas hoje, pouco mais de dois meses após serem furtadas. Não haverá cerimônia ou evento especial.

Inicialmente, deveriam ficar expostas na Pinacoteca só nesta semana. Por causa dos furtos, o encerramento da mostra foi adiado para o dia 5 de outubro.

No dia 12 de junho, três homens armados pagaram ingresso, entraram pela porta da frente e furtaram "Mulheres na Janela" (1929), óleo sobre cartão de Di Cavalcanti; "O Pintor e seu Modelo" (1963), gravura de Pablo Picasso; "Minotauro, Bebedor e Mulheres" (1933), outra gravura de Picasso; e "Casal" (1919), guache sobre cartão de Lasar Segall. As quatro obras estão avaliadas em US$ 560 mil.

A primeira obra recuperada foi "O Pintor e seu Modelo", no dia 19 do mês passado. A gravura estava escondida sob o telhado de um prédio da Cohab José Bonifácio, em Itaquera, zona leste. Uéslei Teobaldo Barros, de 30 anos, foi preso no local. No dia 6, a polícia recuperou o guache de Segall e o óleo de Di Cavalcanti. A última obra, "Minotauro, Bebedor e Mulheres", foi encontrada no dia 16, após ter sido devolvida pelos ladrões. A gravura de Picasso foi abandonada perto do km 13 da Rodovia Raposo Tavares.

Além de Barros, foram presos Edmílson Silva do Nascimento e Alex Santana dos Santos. Três acusados estão foragidos: Marcelo Dias de Souza, Paulo César Soares e Diego Constantino de Oliveira. Os dois primeiros são acusados por policiais do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) de entrar com Barros na Pinacoteca e furtar as telas. As obras passaram por análise técnica de peritos da Fundação Nemirovsky, dona dos quadros e gravuras. A autenticidade foi comprovada. Todas estavam em perfeito estado. Apenas as molduras passaram por manutenção.

O roubo

Por volta das 12h do dia 12 de junho, quatro homens, um deles armado, invadiram a estação e roubaram quatro quadros. As obras, que pertencem à Fundação José e Paulina Nemirovsky, estavam expostas no segundo andar do edifício.

Imagens do circuito interno mostraram que os ladrões não tiveram dificuldades para levar as obras. A  Estação Pinacoteca, localizada próxima à Cracolândia, não tinha sistema de alarmes, nem detector de metais.

Estação Pinacoteca

A Estação Pinacoteca é um local de exposições mantido pelo governo do Estado de São Paulo. Fica localizada no centro da cidade, no bairro da Luz, ao lado da Sala São Paulo e da Estação Júlio Prestes.

O prédio foi inaugurado em 1914. Antes de se tornar um espaço cultural, o prédio pertenceu à administração da Estrada de Ferro Sorocabana.

Durante o período da ditadura militar, o local se tornou sede do Departamento de Ordem Política e Social (Dops), para onde eram mandados os presos políticos.

Atualmente, é um espaço ligado à Pinacoteca de São Paulo.

Leia mais sobre: Estação Pinacoteca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.