Pimentel teria participado do mensalão, diz revista

O ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT), que pleiteia concorrer ao governo de Minas Gerais nas eleições de outubro, foi citado no processo do Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga o mensalão do PT. De acordo com reportagem publicada na edição desta semana da revista IstoÉ, documentos da Procuradoria da República de Minas Gerais indicam que Pimentel - que hoje atua como um dos coordenadores da campanha da pré-candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff - teria superfaturado contratos da Prefeitura de Belo Horizonte para pagar gastos de campanha do PT.

Agência Estado |

Segundo a revista, que informa ter tido acesso à íntegra do processo no STF, Pimentel teria enviado ilegalmente aos Estados Unidos US$ 80 milhões. Parte do dinheiro serviria de pagamento para o publicitário Duda Mendonça, que trabalhou na campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002.

Os recursos remetidos ao exterior teriam origem em contratos superfaturados da Prefeitura de Belo Horizonte com a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) durante a gestão de Pimentel (2005-2008), para a implantação do Projeto Olho Vivo, de instalação de câmeras nas ruas da capital mineira. De acordo com a reportagem, o procurador da República Patrick Salgado Martins defende em sua denúncia que o convênio seria um "ardiloso estratagema para desvio de dinheiro público com a finalidade de saldar as dívidas de campanha do partido em território alienígena".

Para enviar o dinheiro aos EUA, Pimentel supostamente depositava na conta da empresa Gedex International, de propriedade de Glauco Diniz Duarte, que era diretor da CDL na época. Em seguida, os recursos seriam transferidos para a conta de Duda Mendonça. De acordo com os documentos a que IstoÉ teve acesso, a Gedex teria recebido no exterior mais de US$ 30 milhões.

    Leia tudo sobre: mensalão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG