PF também acusa funcionários do Opportunity e família de Dantas

O banqueiro Daniel Dantas continua em sua cobertura na avenida Vieira Souto em Ipanema depois de ter sido preso pela Polícia Federal (PF), que chegou às 5h30 em sua casa. Os advogados do escritório de Nélio Machado chegaram logo em seguida, e também permanecem no apartamento.

Agência Estado |

O banqueiro, sócio fundador do Opportunity, foi preso na operação Satiagraha, que está sendo deflagrada por cerca de 300 agentes da PF, no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Também estão com mandados de prisão expedidos a irmã de Daniel, Verônica; seu ex-cunhado e diretor do Opportunity, Carlos Rodenberg; o diretor Arthur Carvalho; o presidente do grupo Opportunity Dório Fermani; a diretora jurídica Daniele Silbergleid Ninio; a advogada Maria Amália Coutrim; e o funcionário Rodrigo Bhering.

A mulher de Dantas, Maria Alice de Carvalho Dantas, também foi detida. Entre outros crimes, eles são acusados de formação de quadrilha; gestão fraudulenta; evasão de divisas; lavagem de dinheiro e sonegação fiscal.

Dantas também deverá responder por espionagem e tentativa de corrupção de um delegado cujos primeiros nomes são Vitor Hugo. Foram dois anos de investigação que culminaram também na prisão do investidor Naji Nahas e do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta.

Antes de ser levado para a superintendência da Polícia Federal no Rio, Dantas deverá ficar preso na sede da PF em São Paulo, onde estão baseadas as investigações.

    Leia tudo sobre: dantas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG