PF realiza operação contra grupo supostamente ligado a Abadia

SÃO PAULO - A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira uma operação contra lavagem de dinheiro proveniente do tráfico internacional de entorpecentes. Denominada Aquário, a ação visa desarticular um grupo de colombianos com indícios de ligação com o cartel de Juan Carlos Ramirez Abadia.

Redação |

Na ação, foram cumpridos oito mandados de prisão e 24 Mandados de busca e apreensão, envolvendo os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Goiás e Roraima. Os principais crimes cometidos pela quadrilha são: lavagem de dinheiro, evasão de divisas, formação de quadrilha e sonegação fiscal, cujas penas somadas podem chegar a 24 anos de prisão.

Segundo informações da PF, a quadrilha estava se estabelecendo no País com o objetivo de lavar o dinheiro do narcotráfico através da compra de bens. Além disso, os suspeitos montavam empresas de fachada para o processo de ocultação dos recursos. Outro objetivo da quadrilha era adquirir aeronaves para o transporte de drogas e dinheiro entre países da América do Sul e África, Europa, América Central, México e USA.

O principal investigado na Operação, Jorge Rincon Ordonez, também é investigado nos USA e tem mandado de prisão em aberto naquele país. O escritório da DEA em Miami, Florida, tinha já anteriormente preparado um mandado de captura provisório para Rincon-Ordonez junto ao governo Colombiano.

Além dos bens apreendidos, a Polícia Federal também identificou a existência de possíveis contas no exterior abastecidas com recursos de origem criminosa. Documentos obtidos apontam para a existência de aproximadamente US$ 500 milhões nas contas. Segundo a PF, a investigação sobre o dinheiro será aprofundada.

Leia também:

Leia mais sobre: Carlos Abadía

    Leia tudo sobre: abadiatráfico de drogas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG