PF prende seis pessoas suspeitas de seqüestro no Rio Grande do Sul

BUTIÁ - A Polícia Federal do Rio Grande do Sul prendeu, nesta quarta-feira, seis pessoas suspeitas de fazerem parte de uma quadrilha especializada em extorsão mediante seqüestro. Outros três suspeitos já haviam sido detidos e um segue foragido. Além dos mandados de prisão temporária e preventiva realizados nos municípios de Porto Alegre, Canoas, Guaíba e Butiá, a Operação Butiá cumpre oito mandados de busca e apreensão.

Redação |

De acordo com a PF, as investigações tiveram início em 7 de março deste ano, quando um gerente de uma agência da Caixa Econômica Federal, em Butiá, foi seqüestrado com a sua família.

A Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (DELEPAT), conseguiu identificar os integrantes da organização criminosa. No final do mês de março, a quadrilha planejou outra ação contra um empresário de Guaporé, também no Rio Grande do Sul, mas foi impedida pela polícias federal e militar. Na ocasião, três pessoas foram presas por posse ilegal de arma de fogo e de um automóvel "clonado.

Os mandados de prisão foram expedidos pela 3ª Vara Federal Criminal de Porto Alegre. Ao todo, 68 policiais participam da operação.

Os presos serão indiciados por extorsão mediante seqüestro, cuja pena varia de 12 a 20 anos, e formação de quadrilha, com pena de 1 a 3 anos de reclusão.

Leia mais sobre: seqüestro - Operação Butiá

    Leia tudo sobre: pfseqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG